Pular para o conteúdo

A importância do “conhecer a si mesmo”

19, 06, 2009

Durante as entrevistas realizadas com profissionais de Logística é nítida a dificuldade que estes apresentam ao refletir sobre seus aspectos pessoais no que se referem à suas fortalezas e pontos a desenvolver.

Quando o assunto é profissional, discorrem com facilidade suas experiências e seus conhecimentos, no entanto, quando o assunto é sobre si mesmo, permanecem em silêncio encontrando dificuldades em falar sobre si. Percebe-se assim, como estes profissionais não apresentam consciência sobre a importância deste fator que está intrinsecamente ligado ao desenvolvimento profissional.

Quem sou eu? Qual meu potencial? Quais as minhas limitações? Quais meus gaps? Perguntas aparentemente simples, porém difíceis de serem respondidas por aqueles que não apresentam um profundo autoconhecimento.

É importante ressaltar que o aspecto profissional caminha juntamente com o pessoal. O profissional que apresenta apenas o conhecimento técnico, boa formação acadêmica e títulos ou reconhecimentos importantes pode até alcançar o sucesso, porém, em algum momento de sua carreira poderá encontrar dificuldades ou até insatisfação (mesmo ocupando uma posição invejável na organização), caso haja uma negligência do seu aspecto afetivo emocional. Isto porque, o ser humano não pode mais ser visto como um ser mecanicista, apenas executor do trabalho, mas como um ser integral, envolvido em todos os aspectos de sua vida – profissional/intelectual, psíquico, físico, social, lazer e espiritual.

Ao traçar o perfil profissional, as empresas requerem não só profissionais qualificados tecnicamente, mas também exigem perfis comportamentais como boa liderança/gestão de pessoas, capacidade de trabalho sobre pressão, trabalho em equipe, bom relacionamento interpessoal, estabilidade nas empresas, entre outros.

Por isso, é essencial que o profissional pare e reflita sobre si mesmo – quem sou eu, o que busco profissional e pessoalmente, quais meus talentos e fraquezas. Pode-se questionar, por exemplo, o motivo pelo qual não vem apresentando bom desempenho no trabalho (falta de conhecimento técnico? Falta de motivação?); na liderança, questionar o “porque” das dificuldades em lidar com determinado colaborador ou em administrar conflitos (falta assertividade? Insegurança?); na apresentação de um projeto, qual a origem da minha ansiedade excessiva (medo de falhar? Autocrítica?); Instabilidade na carreira profissional (Inflexibilidade a novos ambientes? Falta de foco?). Por meio destas questões é possível aproximar de si mesmo, caminhando rumo ao autoconhecimento.

Conclui-se então que é a partir da reflexão sobre nosso potencial e dificuldades que conseguimos nos conhecer um pouco melhor proporcionando um real desenvolvimento e aprendizagem para lidar com as adversidades resultando em um melhor desempenho e satisfação no trabalho.

Autora: Clarice Ishikawa – Consultora da Netlogística

About these ads
Ainda sem comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: