Skip to content

Por Deus

7, 04, 2008

Nós estamos acostumados com um deus como o nosso: benevolente, mas que impõem certas normas, certos dogmas, para se ir ao paraíso. O mais comum no RPG, no entanto, é que o deus não tenha nada a ver com isso, até porque são baseados em conceitos, deuses menores do passado (e alguns da atualidade) da humanidade ou ainda em literatura.

Quem leu O Senhor dos Anéis sabe para quem a elfa que casou com o rei humano no final da saga rezou para invocar os cavalos de água. Quem lê Conan sabe que Crom só concede tempo para o guerreiro pegar a espada e fazer o que tiver de fazer, mais nada.

O Deus dos elfos do Senhor dos Anéis não deu alma à eles. No dia em que morrem, renascem em corpo do outro lado de um enorme oceano. É para lá que todos eles foram no final do filme, para rever os amigos. Se o Conan morrer, não importa o que ele fez em vida: Crom vai mandá-lo para os Campos Negros de Crom, aonde o guerreiro vagará sem entender o que está acontecendo, sem encontrar coisa alguma ou alguém, para sempre…

Eru o deus que criou todas as coisas em O Senhor dos Anéis é grande como o Universo. A Terra é uma jóia pequena e importante para. Crom é grande, mas não muito, e fica sentado em cima de uma montanha, no além, só olhando.

Se você vai criar um clérigo, é interessante explicar o deus também. Os deuses só pedem o que pedem porque no fim vão recompensar de acordo. Crom não dá nada e não pede nada, os deuses gregos e romanos eram quase como playboys (com raras exceções) e as entidades do candomblé são incrivelmente variadas entre si, mas com alguma coisa em comum, tal como pedir oferendas em comida.

Os deuses gostam mais dos que se parecem com eles. A Mulher Maravilha é a campeã da deusa Atena porque é mulher, sábia e inumana tal qual ela. Zeus adorava Hércules porque este era seu filho e “puxou” várias de suas qualidades de macho dominante, era temido e respeitado e quando morreu, se tornou deus e se casou com a deusa Hebe (dos serviços domésticos)…

Ao explicar a história e costumes de seu deus, ficará mais fácil ter um código de conduta em mente. Mas lembre-se: se o deus dá muito ele pede muito – isso é bom para os clérigos, mas não para os guerreiros – se o deus dá quase nada, pede pouco, e isso é mal para clérigos e bom para os guerreiros.

Inté!

Texto por: Ricardo “Cão BaBão”

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: