Skip to content

The Camarilla

12, 04, 2008

The Camarilla

O ano era 1992. Seu nome: Matthew Burke. O sonho: organizar uma rede mundial de live action ambientada em Vampiro: A Máscara. Live action é uma variação do RPG na qual os jogadores, como em uma peça de teatro se vestem como os personagens. O diferencial está na ausência de falas pré-definidas, priorizando a interpretação e improviso. Nesta época, esta prática se restringia em maioria a manifestações de jogadores mais empolgados com suas campanhas. Estes pioneiros realizavam representações épicas em feiras medievais nos Estados Unidos (para maiores informações consulte DB 69 e 7Cool. A ambientação punk gótica enfatizando o horror pessoal proposta em Vampiro: A Máscara mostrava-se própria à propagação deste entretenimento. Matthew Burke apresentou seu sonho a Mark Rein•Hagen idealizador do Mundo das Trevas publicado pela editora americana White Wolf. The Camarilla nascia como fã clube oficial da White Wolf. A escolha do nome foi uma homenagem ao primeiro protagonista do que viria a ser o complexo Mundo das Trevas: povoado por seres sobrenaturais como vampiros, lobisomens, magos, fadas e aparições. Uma versão sombria de nossa realidade revolucionaria o cenário do RPG mundial: em jogos de mesa e principalmente na divulgação de live action. A estreita relação entre White Wolf e The Camarilla fez desde os primórdios, membros de seu fã clube atuarem como consultores para publicações. Elementos criados e testados no jogo sancionado do fã clube foram adaptados para livros. Vários produtos foram lançados atendendo a demanda crescente de fãs.Como os selos By Night e World of Darkness ambientados em cidades (e até países) preenchiam lacunas do Mundo das Trevas. Foram criadas regras específicas para este entretenimento, através do selo Mind’s Eye Theatre.Finalizando com o Mind’s Eye Journal, publicado a cada seis meses com os principais acontecimentos da campanha global de live action.

O The Camarilla possui mais de 6.000 membros inscritos em 16 países: África do Sul, Áustria, Austrália, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Escócia, França, Filipinas, Inglaterra, Irlanda, Itália, Islândia, Nova Zelândia, Porto Rico e Singapura.

Acompanhando os lançamentos dos títulos Lobisomem: O Apocalipse; Mago: A Ascensão; Changeling: The Dreaming e Wraith: The Oblivion os lives actions foram ampliados para cobrirem individualmente cada título. Formou-se então a crônica sancionada. Os aspectos violentos comumente associados às criaturas fictícias que nos intrigam são veementemente combatidos pelo fã clube. O foco do jogo é centrado na política dramática do Mundo das Trevas e nos trágicos esforços do espírito num mundo decadente onde não existem finais felizes. Por isso, são recomendados para maiores de idade, é necessário muito discernimento para diferenciar realidade e ficção.

A crônica sancionada permite apenas tipos de personagens específicos para uma linha de jogo. Venue é o termo usado para denominar uma linha de jogo. Ela se concentra em um tipo sobrenatural específico (vampiros, lobisomens, magos, fadas ou aparições).

A possibilidade de interagir e viajar para jogos e eventos hospedados por cidades em cinco continentes (usando o mesmo personagem) são sem duvida os maiores atrativos, à primeira vista. A idéia primordial de Matthew Burke foi ampliada com o passar dos anos: ao se diversificar o fã clube tornou-se uma comunidade mundial. Hoje, juridicamente é uma organização sem fins lucrativos que partilha o interesse nas publicações da White Wolf e constrói uma rede de amizades, artes, educação e filantropia. O fã clube depende dos membros que disponibilizam seu tempo para fornecer todos os serviços e eventos da organização. Foi desenvolvido o sistema de Classe de Afiliação (CA). Através dele são reconhecidos os que se dispõem a ajudar.

A forma mais comum de reconhecimento é através do sistema de pontos de prestígio. Os Coordenadores dão pontos de prestígio pelos serviços à organização. Os pontos de prestígio são uma reflexão do esforço, do tempo e da energia disponibilizados. Membros que tenham ganhado pontos de prestígio podem se qualificar para uma Classe de Afiliação maior, resultando em premiações, reconhecimento nas publicações da organização, e mais flexibilidade na criação de personagem. Membros que avançam nas Classes de Afiliação também assumem mais responsabilidade em apoiar a organização e auxiliar outros membros. Enquanto uma Classe de Afiliação maior mostra distinção e garante alguns privilégios, ela não dá aos membros autoridade uns sobre os outros. Todos os membros são tratados igualmente independente da Classe de Afiliação que eles tenham adquirido. – Retirado do Tomo (manual de afiliação ao fã clube)

Este sistema reflete a diversidade da organização ao premiar a iniciativa de seus membros. Todos são incentivados a aprender, ensinar e participar. Especialmente a interpretação e uso de vestimentas e fantasias (enfocados em live action). São promovidos e encorajados também os interesses em escrita, desenho, pintura, ilustração, fotografia, computação gráfica, design gráfico e outros anseios artísticos. Os mais expressivos trabalhos de membros são publicados na revista internacional quadrimestral Réquiem e expostos em convenções e encontros patrocinados pela organização.

A revista Réquiem é uma publicação da direção mundial do fã clube. Feita exclusivamente para os membros do The Camarilla. Ela trás atualizações dentro da crônica global, anúncios de grandes eventos, matérias sobre os produtos da White Wolf, resultado de campanhas de caridade e publicação de trabalhos dos membros que se destacaram no mundo.

Entendendo a organização do jogo

Para criar e incluir uma linha de jogo e personagens na crônica sancionada é necessário aceitar que dentro deste jogo há limites colocados para possibilitar interação. Esta é a forma encontrada pelo fã clube para manter um nível de consistência no jogo. White Wolf e The Camarilla reconhecem que algumas das regras do Mind’s Eye Theatre precisam ser padronizadas para uso na crônica sancionada, assim a interpretação é mais consistente. O fã clube publicou vários suplementos especiais de regras para seus membros. Eles explicam como a organização gerencia a crônica. Um Chapter (ou capítulo) gerência uma Venue. Sua estrutura passa a ser um Domínio se hospedar mais de uma Venue.

Chapter e Domínio são mantidos em duas vertentes: Administrativa responsável pelas atividades gerais de fã clube como afiliação, organização de eventos, envio de relatórios e gerenciamento de classes de afiliação. Narrativa responsável pelo desenvolvimento do cenário, adaptação de personagens e manutenção da crônica sancionada.

A filial Brasileira

A vinda ao Brasil se deu a partir de negociações realizadas no segundo semestre de 2000. Angus Abrason, responsável pela afiliação de países veio ao Brasil em maio de 2001 para avaliar as condições dos interessados em representar o fã clube. Em uma reunião realizada com Angus Abrason, Mike Tinney (atual presidente da White Wolf) e a futura direção nacional foram acertadas a entrada do Brasil no fã clube. Hoje, a filial brasileira está entre os mais promissores países integrantes do fã clube, tendo seu cenário citado como modelo por Mark Torley, antigo Master Storyteller (responsável pela crônica sancionada mundial). A proposta da filial brasileira reforça a ideologia mundial incentivando a participação de todos os seus componentes. Através de um trabalho feito de fãs para fãs, se dedica à educação e conscientização de seus membros numa realidade nada favorável a prática de live action. Enquanto são criados personagens é realizado um trabalho de valorização de nossa história. O desenvolvimento da liderança, da interpretação, e de outros tópicos relacionados através da promoção de oficinas, palestras, seminários sobre artes, história e coordenação de projetos fazem parte da rotina dos membros. Os Chapters trabalham em prol da desmistificação do RPG e live action. Nestes dois anos um contínuo trabalho em parceria com unidades do Sesc e prefeituras em diversas partes do país tem sido realizado. Também contribuem para mudança deste panorama, os serviços comunitários e campanhas filantrópicas. Como exemplo, os trabalhos do Domínio de Recife coordenado por Marcela Randau. No início deste ano uma campanha para arrecadação de roupas e alimentos não perecíveis junto aos membros resultou em uma significativa doação à Associação Pernambucana dos Portadores de Leucemia (APPL). Rodrigo Moreira, membro do Chapter Camarilla conseguiu permissão do Frei responsável pela guarda de um patrimônio histórico a permissão para realizar um live action. Falamos de um monumento nacional tombado em 1961: as ruínas do Convento Carmelita de Nazaré construído entre 1691 e 1732. Para participar do evento foram doados alimentos e roupas. Toda a arrecadação foi destinada a paróquia do Povoado de Nazaré no município de Cabo de Santo Agostinho. O fã clube está se organizando para realizar campanhas de maior abrangência, baseando-se nos sucessos das campanhas locais espalhadas pelo Brasil.

A Crônica Sancionada no Brasil

Os encontros de diversas raças e culturas criaram conflitos, lendas, folclore. A valorização da história de nossa Pátria, os constantes sociais e riquezas naturais formam a base da crônica sancionada brasileira. Essa riqueza factual gera o material fictício. Embora “recente” a história do Brasil é entremeada por acontecimentos ricos para se desenvolver qualquer Venue dentro do Mundo das Trevas. Poucas são as referências da White Wolf ao Brasil. Felizmente a editora dá a liberdade de que seu fã clube use apenas o que seus narradores nacionais considerarem verossímil com a história de seu país. As quatro linhas de jogo desenvolvidas no Brasil interagem entre si através de crossovers. Os jogos apesar de correrem paralelos uns aos outros fazem parte da mesma ambientação, deixando os personagens paranóicos, sem entender por que algumas de suas ações foram frustradas. Muitas vezes quem está jogando nem sente essa interação por não acontecer de maneira óbvia. Como exemplo temos um Giovanni usando sua influência em transportes para desviar uma carga de remédios de um laboratório de renome internacional. Os narradores fizeram os testes, cruzaram as influências e probabilidades, não era uma noite de sorte pro Giovanni, não conseguiu e ainda saiu no prejuízo. A carga seguia para o Rio de Janeiro, levando um medicamento bastante específico. O laboratório estava ligado aos Progenitores (convenção integrante da Tecnocracia), fato ignorado pelo personagem. O jogo de influências entre as criaturas corre sutilmente. Cuidadosamente desenvolvidos pelos narradores e jogadores.

Venue Vampiro – Brazil Afterlife

Esta Venue engloba o horror pessoal de Vampiro: A Mascara. Até o momento o live action mais popular no Brasil. Os personagens são em maioria neófitos, onde está maior diversão em se jogar. O jogo é político, repleto de intrigas, voltado para a sobrevivência em meio a esta raça hostil, manipuladora, estéril e dissimulada como são os vampiros. O Brazil Afterlife está subdividido em três partes: Cenário Camarilla, Cenário Sabbat, Cenário Anarquista. Esta é a primeira Venue em pleno funcionamento dentro da Crônica, aberto a inscrições de chapters e jogadores.

Venue Garou – Brazil Apocalypse

Seja bem vindo ao Brasil repleto de fúria baseado em Lobisomem: O Apocalipse explorado pela Venue Garou. Um dos jogos de maior sucesso da White Wolf finalmente terá sua versão dentro da crônica sancionada no Brasil. Um trabalho criterioso aproveitando nosso folclore, mitos e tribos indígenas está sendo realizado para mostrar a verdadeira natureza deste jogo em escala global. As riquezas de nossa fauna e flora nos dão um cenário demasiadamente rico para o desenvolvimento do cenário das criaturas metamorfas, especialmente os Garou. Se você não acredita ser possível, espere e sinta a fúria dos Guerreiros de Gaia. Este jogo particularmente está sendo o mais esperado pelos outros países participantes do fã clube. Todos querem saber o que vamos ter na Amazônia! O Brazil Apocalypse não apresenta subdivisões, são permitidos apenas personagens das tribos de Garou. Em fase de criação, ainda não está aberto a inscrições de chapters e jogadores.

Venue Mago – Brazil Awaken

A complexidade e riqueza da ambientação de Mago: A Ascensão formam a base da Venue Mago. O Brasil está despertando. A Tecnocracia venceu a Guerra da Ascensão, mas as Tradições desfalcadas ainda resistem. Num mundo que lhes é hostil, as Tradições tentam sobreviver, se reestruturar. Quem sabe um dia, se reerguer. Os poucos remanescentes das Tradições finalmente conseguirão se entender ou sucumbirão definitivamente ao poderio esmagador dos Tecnocratas? O Brazil Awaken está subdividido em duas partes: Cenário para Tradições e Cenário para Tecnocracia. Em fase de criação, ainda não está aberto a inscrições de chapters e jogadores.

Venue Changeling: Brazil Beyond the Mists

Baseado em Changeling, The Dreaming esta é a Venue que mais cresce no fã clube desde sua implantação no Brasil. Aceite o presente que as fadas te oferecem e, se crer, verá o Brasil que se esconde além das Brumas. Num Mundo de Trevas, a magia foi banida para as fronteiras do dia e da noite, para o tênue limite entre o esquecimento e a loucura. Na fina linha dos sonhos perdidos e pesadelos reprimidos da Humanidade vivem os Kithain, os Changelings. Outrora personificações do maravilhoso, hoje são obrigados a envergar máscaras de seres humanos. Acuados pela descrença, lutam para impedir a chegada do Inverno Perpétuo com a mesma força que se entregam para não deixar a areia da magia escorrer de seus dedos e esquecer quem verdadeiramente são. Vivendo numa era de Trevas em que antigos inimigos retornam, esforçando-se para re-estabilizar um império que se recupera de duras batalhas, os Changelings do Brasil têm diante de si o maior dos desafios: serem heróis numa era que não crê em heróis. Em fase de criação, ainda não está aberto a inscrições de chapters e jogadores.

Como participar?

Para se inscrever como membro do fã clube é necessário ter mais de 18 anos. Deve ser assinado um termo de responsabilidade onde são explicados todos os tramites legais como associação sem fins lucrativos. Recomenda-se também a leitura do Tomo (manual de afiliação) para entender melhor a estrutura da organização.

O fã clube está sempre buscando pessoas interessadas em auxiliar nas áreas de coordenação e narração das Venues em andamento como Vampiro e desenvolvimento como Garou, Mago e Changeling para acelerar os trabalhos de criação e também manutenção destes cenários nacionais dentro da crônica sancionada. Para saber quais as cidades em que você pode se inscrever ou se desejar abrir um chapter em sua cidade consulte o site http://www.thecamarilla.com.br

Anúncios
One Comment leave one →
  1. nerisval marinho permalink
    23, 01, 2009 9:23 pm

    gostaria de participa do Venue Mago na area da tecnocracia como faço para participa?????

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: