Skip to content

Gestão integrada: abertura para melhorias e mudanças

26, 02, 2010



O que fazer para mudar paradigmas e fazer com que os profissionais saiam da zona de conforto? Essa é uma resposta que muitas organizações gostariam de ter em mãos, para dar uma guinada na própria administração. Um exemplo muito interessante ocorreu em 2007, quando a área de Recursos Humanos da Unimed Porto Alegre começou o processo de implantação Projeto de Gestão Integrada de Pessoas (GPI) – uma ação que mudou completamente a visão dos profissionais que atuavam na empresa.

Na oportunidade, a proposta era substituir o antigo Plano de Cargos e Salários da Cooperativa, que estimulava uma atitude passiva: os colaboradores recebiam aumentos salariais por tempo de serviço e não havia qualquer forma sistematizada para reconhecer o esforço pessoal no desenvolvimento de novas competências.

Segundo Estela Marcadella, gerente de Recursos Humanos da Unimed Porto Alegre, a grande preocupação, no momento em que metodologias e ferramentas estavam em estudo, foi encontrar um modelo que tivesse aderência ao negócio e que fosse compatível com as práticas de Gestão de Pessoas de grandes empresas do mercado. “Avaliando esses fatores, o GIP foi o sistema de gestão escolhido pela Unimed Porto Alegre, em parceria com uma conceituada empresa de mercado, a Resolution Soluções de Valor”, complementa.

A Unimed Porto Alegre é uma cooperativa de trabalho médico. Atualmente, a organização possui mais de 450 mil clientes e 353 pontos de atendimento entre serviços credenciados e próprios. Atua na capital gaúcha, na Região Metropolitana e no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, abrangendo 33 municípios do Estado.

Ao ser indagada quais foram os principais motivos que levaram a Unimed Porto Alegre a implantar o GIP, a gerente de Recursos Humanos afirma que o desejo de estimular constantemente o desenvolvimento profissional dos colaboradores veio em primeiro lugar. Através do Projeto de Gestão Integrada de Pessoas, as pessoas passaram a entendem que as responsabilidades devem ser compartilhadas, ou seja, a empresa disponibiliza mecanismos, o colaborador compromete-se e assume o seu desenvolvimento, podendo, inclusive, utilizar essas informações para planejar a própria carreira.

Além disso, todo o processo de Gestão de Pessoas da empresa ficou calcado em processos e políticas claras, bem definidas e divulgadas a todos os profissionais. Tudo isso contou com uma estrutura de apoio que se moldou através do Espaço GIP – disponibilizado na intranet – e dos treinamentos realizados sobre o tema, ministrados conforme a demanda das áreas e dos colaboradores.

Focado para todos os profissionais da Unimed Porto Alegre, a implantação do GIP proporcionou uma grande mudança na cooperativa. Isso porque, o que passou a ser estimulado foi justamente a evolução pessoal e profissional, através do desenvolvimento de competências tanto técnicas como comportamentais.

Vale ressaltar que toda a evolução do colaborador dentro da Unimed Porto Alegre se dá com base na sua pró-atividade e em critérios bem definidos. Além disso, o profissional passa a escolher que “tipo” de carreira pretende desenvolver, gerencial ou técnica, podendo, a qualquer momento, alternar a sua preferência.

Implantação – O processo de implantação do Projeto de Gestão Integrada passou por várias etapas. O lançamento oficial para todos os colaboradores ocorreu em setembro de 2008. Para garantir total clareza sobre como crescer dentro da empresa foi estruturado um mapeamento de todas as funções. Houve ainda a preocupação de se estabelecer, para cada função, o Mapa da Excelência que mostra o perfil considerado aos cargos existentes na empresa.

Após o lançamento do programa, que incluiu um treinamento em pequenos grupos para todos os profissionais, os colaboradores fizeram suas próprias avaliações, juntamente com os seus gestores, de como estavam em relação ao Mapa de Excelência. “Juntos, gestor e colaborador estabeleceram metas a serem cumpridas para evoluir em direção à excelência. Com base nas metas, a área de RH programa cursos, treinamentos e outras atividades que apóiam o desenvolvimento de cada um”, afirma Estela Marcadella, ao acrescentar que o Mapa da Excelência também serve como referencial para todos as pessoas que queiram evoluir na carreira. Para isso, basta consultar o mapa do cargo que almejam e, dessa forma, sabem o que precisam fazer para conquistá-lo.

Outra importante conquista do GIP foi estimular o recrutamento interno, que se tornou muito mais intenso depois de sua adoção. Atualmente, as vagas são divulgadas na intranet e os candidatos podem se inscrever para participar do processo seletivo, desde que atendam aos requisitos do cargo. Graças ao Projeto de Gestão Integrada, a Unimed Porto Alegre alinhou ainda mais a Gestão de Pessoas com sua visão e seus valores organizacionais.

Mensuração de resultados – Como todo investimento deve ser avaliado, pois dessa maneira é possível identificar os resultados obtidos através da iniciativa, a cooperativa adotou um sistema de gestão orgânico que acompanha as mudanças estratégicas do negócio. Formalmente, uma vez por ano, os executivos da Unimed Porto Alegre reúnem-se, em conjunto com a área de Recursos Humanos, e fazem um “balanço” do GIP para visualizar os números alcançados. Nesse momento, surgem várias melhorias e projetos a serem desenvolvidos, visando o aperfeiçoamento da ferramenta.

Quando questionada sobre a receptividade do público interno em relação ao Projeto de Gestão Integrada de Pessoas, a gerente de RH comemora. “Ficamos muito felizes com a receptividade dos colaboradores. No processo de implantação tínhamos uma grande expectativa com relação à opinião e à satisfação dos profissionais e o resultado não poderia ter sido melhor: uma excelente adesão e entendimento sobre o sistema de gestão”, vibra.

O que mudou na empresa? – Desde que foi instituído o GIP trouxe mudanças à Unimed Porto Alegre. Dentre as inovações, as práticas de Gestão de Pessoas ficaram muito mais transparentes para os colaboradores. Os processos de Recursos Humanos passaram a ter políticas e critérios bem definidos.

“Posso citar como um exemplo dessa mudança o processo de recrutamento interno. Antes, não havia prioridade para abertura de vagas destinadas ao público interno, oportunizando evolução de carreira. Todas as vagas disponíveis são publicadas na intranet, bem como os critérios para a participação. Um ano após a implantação do GIP, cerca de 30% do nosso quadro de colaboradores Já participou de algum processo de recrutamento interno, o que para nós é um número bem representativo”, enfatiza Estela Marcadella.

Benefícios – Em relação aos benefícios, a empresa identificou que após o GIP ocorreu ainda mais o alinhamento das práticas de Gestão de Pessoas ao negócio da Unimed Porto Alegre. As competências essenciais, aquelas cujo desenvolvimento é necessário para todos os colaboradores, nasceram a partir da missão e dos valores da organização.

Além disso, outros benefícios surgiram como, por exemplo: estímulo à cultura do desenvolvimento profissional contínuo; políticas e critérios de Recursos Humanos bem definidos, clareando a relação entre empresa e colaborador; gestores engajados no processo de gestão de pessoas, assumindo o seu papel na condução desse sistema; definição do modelo de carreira; a adoção de um modelo de Gestão de Pessoas por competências que possibilita ao programa ser vivo, orgânico, ágil, sendo capaz de acompanhar a evolução e as mudanças da Unimed Porto Alegre, que a cada ciclo cresce e se desenvolve mais.

Coordenação do GIP – O Projeto de Gestão Integrada de Pessoas é uma iniciativa institucional e a área de RH tem o papel de dar suporte técnico e ser o “guardião” da continuidade dessas práticas. “Trabalhamos durante o desenvolvimento do projeto em parceria com a Resolution, que nos deu suporte metodológico e trabalhou conosco na construção do mesmo. Optamos por essa contratação por ser um projeto que geraria grandes mudanças na cultura organizacional e no modo de conduzir a Gestão de Pessoas internamente. Além disso, um aporte de mercado daria ainda mais consistência ao nosso processo, levando em conta todas as mudanças que ele geraria”, sintetiza a gerente de RH da Unimed Porto Alegre.

Atuação dos gestores – As lideranças tiveram um papel fundamental na implantação e como também na manutenção de um sistema. Em algum momento houve resistência dos profissionais, informa Estela Marcadella. Pelo contrário, a instituição contou com verdadeiros parceiros que trabalham diariamente na consolidação desse modelo de Gestão de Pessoas.

Por fim, a gerente de RH reforça que ao adotar um modelo de Gestão de Pessoas por Competências, a cooperativa acredita que está dando um passo importante, que sustentará seu crescimento, agregará valor à sua relação com os colaboradores. “Em última in¬stância, através do GIP, a Unimed Porto Alegre cumprirá os preceitos do cooperativismo, um sistema que nasceu como uma alternativa que busca estabelecer relações mais humanas e justas”, conclui.

Texto por: Patricia Bispo

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: